terça-feira, janeiro 02, 2018

OS AMANTES DE NOVEMBRO




Ruas e ruas dos amantes
Sem um quarto para o amor
Amantes são sempre extravagantes
E ao frio também faz calor

Pobres amantes escorraçados
Dum tempo sem amor nenhum
Coitados tão engalfinhados
Que sendo dois parecem um

De pé imóveis transportados
Como uma estátua erguida num
Jardim votado ao abandono
De amor juncado e de outono.

ALEXANDRE O`NEILL

Art - Pintura de Kristodulakis

quarta-feira, dezembro 27, 2017

RENÚNCIA



Renunciar. Todo o bem que a vida trouxe,
toda a expressão do humano sofrimento.
A gente esquece assim como se fosse

um voo de andorinha em céu nevoento.

Anoiteceu de súbito. Acabou-se
tudo... A miragem do deslumbramento...
Se a vida que rolou no esquecimento
era doce, a saudade inda é mais doce.

Sofre de ânimo forte, alma intranquila!
Resume na lembrança de um momento
teu amor. Olha a noite: ele cintila.

Que o grande amor, quando a renúncia o invade
fica mais puro porque é pensamento,
fica muito maior porque é saudade.


OLEGÁRIO MARIANO


OLEGÁRIO MARIANO CARNEIRO DA CUNHA (Olegário Mariano), poeta, político e diplomata. Nasceu em Recife - PE, em 24 de março de 1889, e faleceu no Rio de Janeiro - RJ, em 28 de novembro de 1958.

.
Foto de Anna Gorbenko

quinta-feira, dezembro 07, 2017

SONETO



Pára-me de repente o pensamento
Como que de repente refreado
Na doida correria em que levado
Ia em busca da paz, do esquecimento ...

Pára surpreso, escrutador, atento,
Como pára um cavalo alucinado
Ante um abismo súbito rasgado ...
Pára e fica e demora-se um momento

Pára e fica na doida correria ...
Pára à beira do abismo e se demora
E mergulha na noite escura e fria

Um olhar de aço que essa noite explora ...
Mas a espora da dor seu flanco estria
E ele galga e prossegue sob a espora .


ANGELO DE LIMA

(1872/1921)

Foto de Wahid Nour Eldin


quarta-feira, dezembro 06, 2017

A TUA ROSA




A bela rosa é a que tenho na mão
quando o amor faz durar cada instante,
e em cada segundo se ouve o coração
que faz bater o pulso do amante.

Abro-a com os dedos, até ao fundo,
e vejo-a fechar-se quando se oferece,
os olhos prendendo ao seu secreto mundo,
de cada vez que a olho e ela me esquece.

Nenhuma rosa é como esta, que eu amo,
ao vê-la nascer de um campo de alegria:
tem a púrpura do teu rosto, quente e fria,

e a pureza da tua voz que eu reclamo.
Assim, nunca outro amor teve uma tal flor,
e é à minha vida que dás a sua cor.

Nuno Júdice

In O Estado dos Campos


Foto de Zeca

quinta-feira, novembro 30, 2017

BRINCADEIRA




Brinca comigo à procura
de uma estrela noutro céu
Brinca e lava a noite escura
com os sonhos que Deus te deu

Começa devagarinho
– por favor, não tenhas medo,
que o meu coração fez ninho
dentro do teu em segredo

Acorda os anjos que dormem
com a luz do teu sorriso
Faz com que não se conformem
e saiam do paraíso

Deixa-os entrar de repente
no teu quarto, a esta hora
em que a verdade mais quente
é o sono que te devora

Brinca comigo às escuras,
ensina-me o que não sei
Onde estás? Porque procuras
o coração que te dei?

Fernando Pinto do Amaral

domingo, novembro 26, 2017

QUANTAS VEZES TE ESPEREI NESTE LUGAR ...






Quantas vezes te esperei neste lugar
quantas vezes pensei que não chegavas
quantas vezes senti a rebentar
o coração se ao longe te avistava.

Quantas vezes depois de teres chegado
nos colámos no beijo que tardava
quantas vezes trementes e calados
nos entregámos logo sem palavras.

Quantas vezes te quis e te inventei
quantas vezes morri e já não sei.

Torquato da Luz

Foto Remi Aerts

quarta-feira, novembro 22, 2017

QUASE NADA





Tenho-te aqui ao meu lado;
se quiser tenho na mão 
teus cabelos negros, negros;
acaricio o teu rosto
com trejeitos meigos, sábios.
Se quiser beijo os teus lábios;
se quiser tenho o teu corpo
esbelto, de ébano loiro...
Tudo em ti me faz lembrar
que tenho um lindo tesoiro!
Não é preciso falar,
que é bela a nossa paixão,
sobre o chão
à luz da vela!

Se eu quisesse confessava
que eras agora o meu mundo.
Gosto de ti!
Sei que é pouco!
Sendo pouco,
É quase tudo! 

Humberto Sotto Mayor

Foto de Svetlana Melik-Nubarova

OS AMANTES DE NOVEMBRO

Ruas e ruas dos amantes Sem um quarto para o amor Amantes são sempre extravagantes E ao frio também faz calor Pobres amantes escorraça...